O contra-ataque dos cafés solúveis

0
50
Café solúvel em xícara com grãos de café ao redor

O mercado dos cafés solúveis, também conhecidos como instantâneos, está tendo de se reinventar com a expansão dos cafés especiais.

Uma série de iniciativas dos fabricantes deste setor está fazendo crescer o consumo interno e as exportações deste tipo de café. É o que aponta o Relatório do Café Solúvel do Brasil, da Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (ABICS).

De acordo com o relatório, o consumo do café solúvel no Brasil teve crescimento médio de 4,22% nos últimos três anos, índice superior ao do café torrado. Só em 2019, o crescimento foi de 5,6%. As exportações também tiveram crescimento em relação aos outros anos (7%), tendo como destino mais de 100 países.

Com o apoio da APEX-Brasil, a ABICS lançou o slogan “Nação do Café, também é a Nação do Café Solúvel”. Novidades foram lançadas pelas grandes marcas em 2019, para atrair o consumo interno. Com a participação de especialistas, a entidade desenvolveu novas metodologias para a análise sensorial dos cafés instantâneos.

Um mercado que busca agradar paladares mais exigentes

Os cafés liofilizados, por exemplo, se propõem a manter o aroma e a cor do café original. Embora sua qualidade não seja exatamente a mesma de um café moído na hora, este é um café mais nobre e de sabor mais agradável em relação aos demais solúveis.

Há várias opções de liofilizados hoje no mercado: 3 Corações, L´Or, Iguaçu Gourmet, Nescafé Gold, Native, Suplicy, Pelé Gourmet, entre outros.

Um pote de café solúvel aberto, aparecendo os grânulos
Cafés liofilizados são solúveis que mantêm aroma e sabor mais próximos do café original

O coffee geek Rodrigo Kirsch, idealizador do Terça Expressa, já escreveu aqui no Café Combustível sobre os cafés instantâneos. Ele organizou um cupping só com cafés solúveis em 2018. Segundo ele, a principal vantagem deste tipo de café é a praticidade. “Impulsionada pelo crescente interesse do consumidor por produtos mais sofisticados, a diversidade de cafés instantâneos aumentou”, comenta. Veja como foi a experiência https://cafecombustivel.com.br/a-nova-onda-dos-instantaneos/

Saiba mais sobre o café liofilizado

O café liofilizado surgiu a partir de um salto na fabricação de cafés instantâneos, com o uso de grãos arábica e não robusta na base. Até meados do século 20, havia apenas dois processos de secagem na fabricação de cafés solúveis disponíveis no mercado: o spray dried e o aglomerado.

No primeiro, o extrato de café (resultado da extração dos compostos em água) é trabalhado em altas temperaturas e pressão. Neste preparo, a secagem é feita por pulverização sob vácuo e muitos compostos voláteis do café evaporam, o que prejudica a qualidade de sabor do produto instantâneo.

No segundo, o café moído é aglomerado em vapor, ganhando uma granulometria padrão, de dimensão e espessura que facilita a dissolução em água quente. Ainda assim, parte das características de sabor e aroma são perdidas na secagem, que também é feita por pulverização e sob vácuo.  

Já no freeze dried, utilizado para o café liofilizado, o concentrado líquido é congelado a baixas temperaturas (geralmente – 40 graus). A máquina de liofilização cria um vácuo para reduzir a pressão e uma quantidade controlada de calor é aplicada para que a água sublime. O processo mantém as qualidades sensoriais, produzindo xícaras de sabor e aroma mais sofisticados.

O resultado é uma experiência de xícara instantânea e gourmet, já que o processo de fabricação promove a manutenção dos compostos voláteis dos grãos torrados e moídos.

Com informações de http://www.ucoffee.com.br