Itália dos livros à cucina

0
50

O idioma italiano representado nos livros de culinária e a construção da identidade de um país por meio da gastronomia. Esse é um dos pilares importantes do livro A ciência na cozinha e a arte de comer bem, publicada pela primeira vez em 1891, por Pellegrino Artusi, na Itália. A pesquisadora gaúcha Carla Maicá desenvolveu sua dissertação de mestrado sobre o legado deste autor e, no percurso de seus estudos, acabou se apaixonando também pela gastronomia.

Carla cursava o bacharelado em Letras com ênfase em Português-Italiano quando conheceu o trabalho de Artusi. Como ela revela em sua dissertação de mestrado, ela entrou para a cozinha por um interesse teórico e acabou apaixonada pelos aromas e técnicas.

E, aos poucos, a pesquisadora tornava-se também cozinheira. E das boas. A transformação não foi fácil. Como ela também relata em seu estudo, muitas vezes veio a dúvida sobre vestir o uniforme de cozinheira, ou procurar ser coerente e seguir a carreira de bacharel, ceder ao apelo das panelas fumegantes ou ao vocabolari della lingua italiana.

De 2012 a 2019, Carla foi várias vezes para a Itália, para conhecer de perto a cultura e a gastronomia italiana relatadas por Artusi. Também já havia criado o blog Cucina Artusiana, cuja proposta é falar de culinária italiana muito além da pizza.

E atuava intensamente em restaurantes e eventos, a princípio de terceiros e, mais tarde, como dona de seu próprio empreendimento – o Armazém Artusi, em Gravataí. Hoje, o espaço se chama Scottino, mantendo a mesma proposta de bistrô e delicatessen, com os novos proprietários, seus ex-clientes.

Mas a vontade de levar a gastronomia para o meio acadêmico falou mais alto e ela retomou seu projeto de mestrado e já emendou no doutorado (em curso). Mas segue ministrando oficinas e produzindo conteúdo gastronômico não apenas sobre a culinária italiana, mas sobre tudo que diz respeito à comfort food.

Artusi e o café

O café tem íntima relação com a cultura italiana. A origem deste envolvimento remonta ao final do século XVI com comerciantes italianos trazendo do Oriente os grãos que chegavam pelo porto de Veneza. Já o primeiro café como local público para se apreciar a bebida foi inaugurado em Gênova em 1643.

Foi na Itália que se desenvolveu o hábito de tomar espresso e seu maquinário. Também é de lá a criação dos cappuccinos (em homenagem à cor da roupa dos frades) e macchiatos.

Artusi menciona o ingrediente café em vários momentos de sua obra. “Esta preciosa bebida, que espalha por todo corpo uma excitação agradável, foi chamada a bebida intelectual, a amiga dos escritores, cientistas e poetas, porque, agitando os nervos, clareia as ideias, tornando a imaginação mais vívida e o pensamento mais veloz” diz o autor em uma de suas passagens.

Em seu blog Cucina Artusiana, Carla traz várias receitas com café, algumas inspiradas no livro de Artusi e outras de criação própria ou adaptadas. Veja aqui algumas delas, confira:

Aperitivo Sambuca

Affogato Ubriaco

Raspadinha de Café

Panna Cotta de Café

Tiramisú