Estilos musicais diferentes, mas o café como combustível

0
94

Em tempos difíceis como o que estamos vivendo, a arte é sempre acalentadora. Alimenta a alma e nos faz viajar. Assim como café, a arte – e sobretudo a música – tem a capacidade de conectar as pessoas.

Mas em tempos de isolamento social está complicado ouvir aquele som que tanto gostamos em um teatro ou café. E para os artistas também está sendo árduo sobreviver com os espaços de espetáculo fechados.

Por isso hoje divulgamos o trabalho de dois artistas que amam café e lançaram projetos muito bacanas neste período de quarentena, cada um em seu estilo musical. Confira!

Café como influência

Rodrigo Nassif é um instrumentista premiado no Brasil e exterior. Vencedor de diversos prêmios, entre eles o Açorianos de melhor intérprete em 2009, tem oito discos autorais que tornaram-se referência na música instrumental brasileira. Ele já tocou em conceituados clubes de jazz de Nova Iorque, como o Jazz Forum , no bairro Tarrytown, e Café Thalia , na Broadway.

O café tem muita importância no processo criativo de Nassif. Ele toma em média cinco cafés por dia, seja em casa ou viajando, e não consegue imaginar sua vida sem este hábito. Todas suas músicas são de alguma forma influenciadas por café mas uma em especial se chama Café sem açúcar.

Neste período de isolamento social, ele está fazendo lives diárias à tarde no Facebook e três vezes por semana no Instagram onde demonstra passo a passo a construção das canções instrumentais, desde o improviso cru até a finalização como material estruturado e pronto para gravar. Também tira dúvidas de quem ama música em tempo real. O projeto pode ser acessado no link abaixo e as contribuições ajudam no sustento do artista, enquanto essa orientação de isolamento perdurar.

https://apoia.se/nassifcriativo?fbclid=IwAR1yfz9Fk4pl9ndZA037gndeL86tBQaEpheQoHoZ9-Nkr3NETb0XjUcvkmQ

Rodrigo Nassif chegou a compor uma música chamada Café sem Açúcar

Café como estimulante

Alexandre Poeta é um ex-publicitário que há 14 anos vive exclusivamente da música. Suas letras têm apelo sentimental e ele transita por vários gêneros. O artista foi 1º lugar no Festival de Música de Porto Alegre, onde também recebeu o prêmio de melhor letra pela canção A Espera, que dá nome ao seu show.

Para ele, o café funciona mais como um estimulante, não sabe identificar ao certo se chega a interferir no processo criativo. Ele toma umas quatro xícaras da bebida por dia, enquanto compõe e ensaia em seu estúdio.

Alexandre Poeta fará uma live neste feriado de 01 de maio (sexta), às 19h, pelo Instagram e Facebook. O músico também estará recebendo contribuições durante o show.

Para Alexandre Poeta, o café é um estimulante em sua rotina musical