Segredos do Café – parte I

0
46

Nas minhas andanças por cafeterias, convivo com Coffee Geeks e Coffee Lovers iniciados, mas também com pessoas que amam café mas desconhecem muitos de seus segredos.

Por isso, resolvi criar a série Segredos do Café, que dividirei em vários textos. Este primeiro, é claro, será dedicado a um dos meus métodos preferidos (apesar de amar café de todas as formas) – o Café Espresso.

Muita gente me pergunta porque é Espresso e não Expresso. Bem, a grafia é com S porque este é um café extraído sob pressão, ESpecialmente PREparado Sob Sua Ordem . Muita gente acha que é expresso com X porque é rápido, mas não… que diferença faz uma letrinha, hein?

Por isso, esse é um tipo de café para ser saboreado no exato momento de sua extração, diferente de outros métodos. Sob o café espresso, forma-se uma espécie de creme, também chamado de Crema do Café, uma camada homogênea que serve para preservação do aroma e de sua doçura natural. Se ao final do seu café existir uma marca que se aderiu à parede da xícara, significa que ele foi bem tirado. Se a crema não se formou, a moagem pode estar grossa para a máquina, o tempo de extração pode ter sido curto (a média é 25 segundos) e o café ficou fraco.

Outra curiosidade do Espresso são os 4 M´s. Assim como no Marketing existem os 4 P´s – Produto, Praça, Preço e Promoção – e na área de gestão, os Seis Sigma – Definir, Medir, Analisar, Melhorar e Controlar – o café espresso também tem sua fórmula secreta. Todo barista deve conhecer essas quatro palavras mágicas para um bom espresso, que começam com a letra M – Miscela, Moinho, Máquina e Mão.

Mas em que consiste cada etapa?

A Miscela é a saca do café já devidamente escolhido, selecionado e embalado sempre de boa origem.

O Moinho representa a moagem, etapa tão importante quanto a torra. No Moinho, o barista pode ajustar a granulometria do café, mais fina ou mais grossa, ajustando à máquina onde será extraído o espresso.

Por falar em Máquina, é fundamental conhecer bem o equipamento se está usando, para obter o melhor resultado na extração do seu espresso, conhecendo a fundo detalhes técnicos como sua pressão, temperatura da água, etc.

Por fim, a Mão do barista tem o poder de refletir sua energia e fazer um café espresso único. A mão do barista é fundamental.

Gostou deste texto? Compartilhe e envie suas dúvidas sobre Cafés. Será um prazer pesquisar e responder por aqui.